Vazio, preto, branco, e sem música.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

| | |

O mundo é um lugar tão feio.

Nunca senti tanta vontade de deixa-lo.

As pessoas se vendem por tão pouco, e se admiram com o que lhe parece muito, quando nada mais é do que a sobra de alguém.

Não estou à venda. Mas já não sei mais se isso é bom ou ruim. Só sei que é difícil.

Eu não posso escolher. Tenho que me submeter a ser uma presa. Então não quero.

Eu acho que muitas pessoas me amam. Mas como saber. É difícil. O quanto a gente importa?

Não quero viver pelo dinheiro. Ou para o dinheiro. Eu quero ser livre. Mas como isso é possível?

Eu tenho medo do futuro. Nunca tive, até hoje, mas parece que tudo mudou.

Então não posso ser feliz. É o que a vida me mostra. Não é relevante o que eu sou ou faço, mas o que eu posso ter se me sujeitar a viver como o mundo me propõe.

O que será que a vida quer me dizer com isso?

Ela quer que eu acredite nisso, ou quer que eu entenda alguma outra coisa? Se for para entender outra coisa, o que seria? Que não posso desistir?

Indiferente. Nunca desisti até hoje. Tenho 23 anos. Eu sei o que eu quero para o meu futuro, e sei o que eu sinto para o meu futuro. E dispor da minha integri9dade nunca foi uma meta. Não será apartir de hoje também. Então como eu prosseguirei?

Enjoei do mundo, da vida, e até das pessoas. Não pretendo tomar nenhuma atitude radical. Mas tenho que admitir pra mim mesmo que o mundo agora é preto e branco. Preto, branco e sem música.

Se alguém ler isso, Feliz Natal.

Alex Pedro
Quarta-feita, 23 de dezembro de 2009. 19:27

4 comentários:

Anônimo disse...

Olá Alex,

Sabe, tenho 25 anos e nunca vivi verdadeiramente o amor.. Procuro ter fé e acreditar que ele existe, mas tantas coisas me decepcionam, principalmente a falta de amor. Obrigado pelos seus sinceros versos. São, realmente, cheios de amor...

abraço :D

Alex Pedro disse...

Tudo bem, Anônimo?
Então, são versos cheios de desgosto pela forma como o mundo vê o amor. Estava num péssimo dia. Talvés um dos piores.

Adilson disse...

Realmente versos que retratam um momento muito particular, mas não posso deixar de dizer: "Quem de nós já não sentiu-se assim?" A vida perde o encanto, as cores... o amor parece não exisitir, nós parecemos estar num mundo irreal. Será que a saída seria perder a fé no homem? De qualquer forma Alex, gostei muito da sua forma de expressão.

Alex Pedro disse...

É engraçado isso, Adilson. Eu escrevi isso falando de uma coisa exata, e eu leio, e cada verso parece refletir só sobre aquilo. Mas uns amigos que leram isso falaram sobre situações em que se sentiram de maneira parecida, e como cada verso se encaixou no caso deles, que era completamente diferente do meu.
A palavra é um poder incrível.

Postar um comentário