Vazio, preto, branco, e sem música.

quarta-feira, 23 de dezembro de 2009

| | | 4 comentários

O mundo é um lugar tão feio.

Nunca senti tanta vontade de deixa-lo.

As pessoas se vendem por tão pouco, e se admiram com o que lhe parece muito, quando nada mais é do que a sobra de alguém.

Não estou à venda. Mas já não sei mais se isso é bom ou ruim. Só sei que é difícil.

Eu não posso escolher. Tenho que me submeter a ser uma presa. Então não quero.

Eu acho que muitas pessoas me amam. Mas como saber. É difícil. O quanto a gente importa?

Não quero viver pelo dinheiro. Ou para o dinheiro. Eu quero ser livre. Mas como isso é possível?

Eu tenho medo do futuro. Nunca tive, até hoje, mas parece que tudo mudou.

Então não posso ser feliz. É o que a vida me mostra. Não é relevante o que eu sou ou faço, mas o que eu posso ter se me sujeitar a viver como o mundo me propõe.

O que será que a vida quer me dizer com isso?

Ela quer que eu acredite nisso, ou quer que eu entenda alguma outra coisa? Se for para entender outra coisa, o que seria? Que não posso desistir?

Indiferente. Nunca desisti até hoje. Tenho 23 anos. Eu sei o que eu quero para o meu futuro, e sei o que eu sinto para o meu futuro. E dispor da minha integri9dade nunca foi uma meta. Não será apartir de hoje também. Então como eu prosseguirei?

Enjoei do mundo, da vida, e até das pessoas. Não pretendo tomar nenhuma atitude radical. Mas tenho que admitir pra mim mesmo que o mundo agora é preto e branco. Preto, branco e sem música.

Se alguém ler isso, Feliz Natal.

Alex Pedro
Quarta-feita, 23 de dezembro de 2009. 19:27