Tem lógica

quinta-feira, 29 de março de 2012

| | |




- Ei, eu acho que você não precisa mais chorar
- Por que não deveria?
- Porque eu descobri que dá pra você voltar a ser feliz!
- Eu acho que não posso.
- Por que não?
- Porque eu não posso voltar no tempo e mudar o passado...
- Mas se você voltasse no tempo, ainda sabendo como terminaria, você iria passar pela mesma coisa, porque você não pode mandar no seu coração.
- É... Tem lógica. Mas como eu poderia ser feliz?
- Simples. Eu descobri que eu sou a sua alma gêmea!
- Mas se isso existisse, ou, se fosse você, eu também teria notado, não teria?
- Então, mas nós já estamos nos falando até agora. Isso pode ser um sinal.
- Mas eu não consigo me esquecer do passado.
- Ah, mas isto é simples. Você não quis esquecer até agora. Alias, por não querer, as pessoas acabavam desistindo de você. E você voltava a pensar na mesma pessoa...
- Verdade. Mas aí que tá, se eu não quis esquecer, porque acha que seriamos almas gêmeas?
- Você se prende a alguém que não te quer como você quer, logo, esta pessoa não pode ser sua alma gêmea.
- Tem lógica. Mas não estou apaixonado por você.
- Isso porque não quer se apaixonar por mais ninguém. É simples, não é?
- Verdade. Mas porque você acha que eu sou sua alma gêmea?
- Por que você espera do mundo o mesmo que eu...
Silêncio constrangedor.
- E...
- Sem chateações, vai. Você escuta cada coisa esquisita...
- Você sempre disse que gostava!
- Exatamente!
Silêncio surpreendente.
- Agora fiquei sem graça... Mas tem lógica... Mas sabe o que acontece? Eu gosto de você, e detestaria te dar uma chance e você descobrir da pior maneira que não somos um só. Não quero magoar você.
- Pois então, aí vem outro sinal. Eu não tenho medo de chorar por sua causa, não apenas por achar que você vale o risco, mas porque eu tenho certeza que é você.
- Mas porque diz isto?
- Porque quando eu acordo a primeira coisa em que penso são seus olhos negros.
- É sério?
Silêncio encantador.
- Juro.
- Então tem lógica. Mas e agora, como a gente faz?
Silêncio sonhador.
- É bem fácil: me dá a sua mão, que até seus cabelos ficarem brancos a estrada é bem longa.

3 comentários:

Anônimo disse...

Gostei muito , parabéns linda história :)

Phê Brito disse...

Gostei do diálogo.
Reproduz o que muitas pessoas fazem: não deixam as coisas ruins lá atrás e não lembram das coisas boas e nem as vivem no presente.
Mas conseguindo fazer a pessoa cooperar, isso pode sim mudar pra um final até que a morte os separe.

Adilson disse...

Muito lindo, principalmente o final.

Postar um comentário