D.I. Project

| | |
O ano é 2063.

A humanidade corrompeu-se às delicias do consumismo. Cheia de vícios por tecnologias, drogas sintéticas e fetiches sexuais, o homem caminha para sua fase mais obscura e superficial.



"Johan foi até a sacada do apartamento e olhou para Londres. A vista do Edifício Queen’s SIght, o maior arranha-céus de toda a Grã Bretanha. Quase quinhentos metros de uma construção que reluzia feito um imenso cajado de ouro branco erguendo-se até as estrelas e no topo, o que parecia uma coroa incrustada de rubis e esmeraldas."



" Havia um campo de flores, gérberas, de variadas cores, misturadas, e entre as flores dançava nua aquela mulher de cabelos ruivos esvoaçantes. Seus seios eram fartos, de textura macia como a casca de um pêssego, e sua pele branca permitia que aqueles mamilos rosa se destacassem. Havia os pelos pubianos, poucos, vermelhos e delicados, entre as pernas roliças que se começavam logo após aqueles quadris largos."

Capítulo 2
"Charles Cadogan era inspetor de polícia de Londres, do setor central. Naquela noite de 13 de outubro, havia sido convidado por seus filhos para comemorar o aniversário de sua esposa Sophie no restaurante Nonna Ambrosia. No entanto, Charles fora carregado de investigar o assassinado de Edwin Von Ancken."



Capítulo 3
"Isabel era fascinada pela variedade que havia no passado e como elas perderam a força no fim da segunda década do século XXI. Exseros era o nome que os professores de grandes universidades adotaram para se referir a um dos mais importantes aspectos da grande guerra: a religião."

0 comentários:

Postar um comentário